Dissertações

TV Digital: do Estado da Arte aos Desafios da Implantação

Autor: Marcelo da Silva Castro

Ano: 2006

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

Desde o surgimento da televisão, este serviço e as tecnologias que lhe são associadas, vêm sofrendo um contínuo desenvolvimento, perceptível ao grande público apenas quando representa uma maciça quebra de paradigmas, como foi, por exemplo, com o advento da televisão a cores, uma vez que a tecnologia envolvida foi percebida pela sociedade como um todo.

Estamos às vésperas de uma nova quebra de paradigmas: a introdução da tecnologia digital no serviço de televisão aberto e gratuito. Muito se tem discutido sobre este tema, porém, existe ainda uma grande dificuldade no entendimento das questões pertinentes à implantação da TV Digital em nosso país. Isso se deve, dentre outros fatores, à escassez de informações relevantes sobre o assunto e, quando disponíveis, tais informações, adotam, em regra, uma linguagem extremamente técnica. Neste contexto, o estudo aqui proposto tem o objetivo de delinear o estado da arte da TV Digital no Brasil. Busca-se com isto, constituir, através de um estudo exploratório, um corpus teórico/tecnológico de conhecimentos para este novo meio de comunicação, cujo conteúdo será basicamente informativo e instigará questionamentos mais profundos a cerca do assunto.

O produto deste estudo tem ainda a função de servir como base para uma pesquisa futura mais profunda. Para isto, partiremos de objetivos específicos, sendo eles: detalhar as vantagens e desvantagens de cada padrão de TV Digital existente; conhecer os recursos técnicos disponíveis na TV Digital; estudar as possibilidades desta tecnologia como fator de inclusão, não apenas digital, mas também social, de uma significativa parcela da população brasileira; analisar o cenário político/econômico contemporâneo e qual sua relação na escolha do padrão a ser adotado pelo Brasil; e, por fim, analisar os possíveis benefícios e/ou prejuízos à educação, através da inserção desta tecnologia na educação mediada pela televisão.

Link para o trabalho


A televisão digital no Brasil: impasses de uma política pública

Autora: Geórgia da Cunha Moraes

Ano: 2003

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

Em 1994 foi criado o grupo ABERT/SET de Televisão Digital, reunindo profissionais dos departamentos de engenharia de diversas emissoras, com o objetivo de estudar a adoção de um sistema de transmissão digital terrestre e propor soluções para o governo brasileiro.

Esta dissertação irá abordar como se deu a introdução do tema na agenda governamental, qual o encaminhamento dado à questão pelo governo, como os atores envolvidos neste processo atuaram na defesa de seus objetivos ao longo dos dois mandatos do governo Fernando Henrique Cardoso e, finalmente, o que levou o governo a voltar atrás em seu plano de ação, não adotando o padrão de transmissão digital para televisão aberta brasileira.

As fases do ciclo político e a atuação dos atores e instituições dentro do subsistema político configurado para tratar do problema da digitalização serão analisadas a partir de histórico previamente elaborado contendo os fatos mais relevantes para a tomada de decisão, que culminou com a edição no final de 2002 de uma política de adoção da tecnologia. Por fim, as hipóteses e análises inicialmente traçadas serão confrontadas com as opiniões de atores que participaram desse processo por meio de entrevistas focadas.

Link para o trabalho

 

Participação do cidadão e atuação parlamentar: o caso do Serviço 0800 do Senado Federal

Autora: Márcia Yukiko Matsuuchi Duarte

Ano: 2003

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

Este estudo analisa o uso político pelos Senadores da República do Brasil, das opiniões, críticas e sugestões enviadas pelo cidadão por meio do Serviço 0800 – A voz do Cidadão do Senado Federal. O objetivo é identificar se a existência desse canal de comunicação propicia uma comunicação dialógica entre representantes e representados, contribuindo para a (re) adequação das práticas políticas, fomentando a participação do cidadão nos processos de discussão e deliberação das questões públicas, e por conseqüência, fortalecendo a prática democrática.

A pesquisa empírica exploratória utilizou como estratégia o método qualitativo, por meio do exame de documentos referentes ao assunto e entrevistas semi-estruturadas. A coleta de dados baseou-se na identificação do processo que envolve recebimento, seleção e uso da informação pelo Gabinete Parlamentar.

A identificação de um complexo sistema para o tratamento das mensagens enviadas pelo cidadão, a presença de gatekeepers nesse processo e a existência de modelos próprios de fluxos da informação são algumas das descobertas deste trabalho, que procurou contribuir para os estudos da área de Comunicação Política no Brasil.

Link para o trabalho


O conceito de TV Executiva nas Estatais Brasileiras: estado atual e perspectivas

Autor: Eduardo Rocha Silva Neto

Ano: 2002

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

Estudo de casos das TVs Executivas nas principais estatais brasileiras: modelos, programação, conteúdo e seu processo de transformação do sistema analógico para o digital. As empresas Banco do Brasil, Banco Central e Embrapa buscam alternativas para a transição tecnológica e novas políticas de endomarketing no mundo digital, com busca de solução a partir do gerenciamento de projetos (PMI), com ênfase na terceirização e quarteirização dos processos de produção e gerenciamento.

Link para o trabalho


PBS – Public Broadcasting Service – uma análise do modelo da televisão pública americana

Autor: Érico Gonçalves da Silveira

Ano: 2002

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

O modelo de televisão pública americana é analisado em um histórico político e institucional do Public Broadcasting Service – PBS. A PBS é a rede pública de televisão dos Estados Unidos. Sua estrutura institucional, seu sistema de financiamento e sua relação com o Estado são os pontos de partida desta análise. O histórico descreve o percurso da radiodifusão americana, desde os primeiros debates sobre o caráter público das comunicações, a consolidação do modelo econômico do setor e sua legislação, até a estruturação da rede pública, com a criação da PBS em 1969. Continua com a descrição de seus primeiros anos de funcionamento, os impactos da gestão Nixon sobre sua estrutura e a desregulação dos anos 80.

A PBS é abordada sob a ótica da Police Studies, analisando os atores, as instituições, os instrumentos de implementação, como qualquer política pública. Ainda, o conceito de televisão pública é estabelecido a partir das noções de Cidadania e do Direito à Informação e Comunicação. Para tanto, a natureza do serviço de comunicação é elaborada a partir dos principais modelos de comunicação existentes, representados pelos modelos americano e britânico. Um representando a categoria de interesse público e o outro a categoria de serviço público.

Este estudo analisa principalmente a forma de financiamento e o controle do Estado sobre a rede. Verifica como a PBS optou por estabelecer sua autonomia editorial, se posicionando ora dependente do mercado, ora do Estado, ora da sociedade civil, numa busca constante pela autonomia sobre seu conteúdo.

As conclusões destacam três pontos chaves, de acordo com as hipóteses da pesquisa: a multiplicidade de vozes, a autonomia da rede e a questão da comunicação como impulsionadora de cidadania. O conceito de televisão pública marginal conclui o trabalho, evidenciando a dificuldade do modelo em se consolidar na televisão e na sociedade americana.

Link para o trabalho


Comunicação Estratégica para a Mudança Social no Contexto da Implementação de Políticas Públicas

Autora: Cecília Rodriguez Studart Guimarães

Ano: 2002

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

Existem diferenças estruturais entre campanhas de comunicação que pretendem difundir um programa ou uma instituição social e intervenções de comunicação estrategicamente planejadas, que promovam a adoção de comportamentos relacionados à efetiva implementação de políticas e que melhoram as condições de saúde, educação ou de direitos humanos de segmentos populacionais social e economicamente menos favorecidos.

Intervenções de comunicação previamente planejadas devem ser estruturadas a partir de um tripé que considere como um de seus vértices as políticas públicas, o outro, as ferramentas para o planejamento estratégico de intervenções sociais, e o outro, as teorias e modelos sobre a mudança comportamental. Isso quando a comunicação pretende promover a mudança de comportamentos sociais e coadjuvar no processo de implementação de políticas sociais. Cada um dos vértices desse tripé contribui para a compreensão dos fundamentos e princípios básicos da comunicação estratégica. E é nesse tripé que se estrutura a presente dissertação.

Ela pretende mostrar, a partir da compilação bibliográfica e das principais lições aprendidas, em nível nacional e internacional, como se pode utilizar a comunicação de forma que ela contribua para melhor implementar uma política social. Constituem o seu objeto de estudo os fundamentos para o estabelecimento de uma estratégia de comunicação para a mudança comportamental, como parte integrada de uma estratégia de implementação de políticas sociais.

A principal hipótese desta dissertação é que a comunicação quando concebida de forma estratégica, pode funcionar como ferramenta de efetivação das políticas sociais. Para mostrar isso, foram pesquisadas as variáveis que atuam positivamente nos processos de comunicação como instrumentos de efetivação de políticas sociais e diferenciadas daquelas características que fazem de uma intervenção de comunicação um mero processo de difusão de projetos sociais.

Link para o trabalho

Portal rede governo: a interatividade com o cidadão

Autor: Antônio Carlos Lopes Burity

Ano: 2002

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

Esta dissertação reflete sobre os impactos que o Portal Rede Governo está causando às relações do Estado com o cidadão. Investiga-se como prestar informações e serviços (virtualmente, via internet) constitui a nova modalidade de comunicação entre esses dois atores. Dada a sua abrangência, recortam-se significantes referências em Ciências Políticas e Sociais, Teoria da Informação e Teoria da Comunicação. O eixo condutor é a Interatividade como referencial para mensurar graus e intensidade da fricção Estado X Cidadão, o objeto do estudo. Por ser parte da linha de pesquisa “Políticas e Tecnologia da Informação” da Pós-Graduação da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília, o foco dissertativo contextualiza o Portal Rede Governo e o programa em que se insere – “Sociedade da Informação” do Ministério de Ciência e Tecnologia – como política pública do Poder Executivo para a internet.

Link para o trabalho

Esferas Públicas Feministas na internet

Autora: Lara de Podestá Haje (2002)

Ano: 2002

Instituição: Universidade de Brasília - Faculdade de Comunicação - Programa de Pós-Graduação em Comunicação - Mestrado

A partir da constatação de que nas publicações ditas femininas as reivindicações feministas ganham pouco espaço, principalmente devido à vinculação das temáticas com o consumo, busca-se na internet uma nova possibilidade de publicização para o movimento feminista. Muito embora os grandes grupos de mídia privados tenham ocupado em grande parte a World Wide Web e as páginas femininas sejam, em geral, meras extensões das publicações impressas, resta algum potencial transformador para a rede, advindo de suas características interativas e de espaço não-territorial e ilimitado. A proposta da dissertação passa pela discussão das potencialidades da rede para a formação de esferas públicas habermasianas e pela análise de como o movimento feminista vem se apropriando e pode se apropriar desse espaço.

Link para o trabalho

Políticas de Comunicação

Icone-12Mais de 40 trabalhos defendidos na Pós-Graduação em Comunicação da UnB.